11 de janeiro de 2011

Contra o encerramento do Ramal de Cáceres para comboios de passageiros

A Junta de Freguesia da Beirã emitiu um comunicado de imprensa chamando atenção para a intenção da CP - Comboios de Portugal, de encerrar o Ramal de Cáceres à circulação de comboios de passageiros.


O Movimento por Marvão, associa-se a esta iniciativa e apela a todos e todas que nos seus espaços de influência lutem contra o encerramento dos comboios de passageiros no Ramal de Cáceres.

Uma das formas de o fazer pode passar pela assinatura de uma petição pública que podem encontrar no seguinte endereço:


O interior cada vez mais isolado, desertificado, levará Portugal para desequilíbrios inaceitáveis. Não podemos permitir que isso aconteça. As populações do interior merecem as mesmas condições de vida que as do litoral.





3 comentários:

Tiago Pereira disse...

Este tem de ser o papel dos movimentos cívicos: lutar contra o assassínio dos seus territórios!

Esta medida da CP é um autêntico assassínio da povoações do Ramal de Cáceres, e não só dado que o plano da CP pretende suprimir muitas outras linhas!!

Vamos em conjunto lutar contra este processo…

Anónimo disse...

Concordo com o Tiago, é sem dúvida um atentado às populações "ribeirinhas" deste ramal... Em vez de atirarem uma boia de salvação fazendo renascer este percurso ferroviário e com história, fazem precisamente o contrário, continuando este naufragado interior a definhar e amputado em tudo e mais alguma coisa.

O primeiro passo para a "luta" está dado, esta petição assim o confirma, e apesar de ser uma luta desigual e com um desfecho "mais ou menos" previsível, não podemos baixar a guarda.

Já assinei a petição e pedirei a mais amigos que o façam.

Silvério.

junta freguesia beirã disse...

Olá boa noite!
Agradeco ao Movimento por Marvão por se ter associado a esta causa, obrigado!
Não nos parece justo e correcto que o estado mais uma vez descrimine o Alentejo para baixar o endividamento público, é preciso não esquecer que o Nordeste Alentejano é das regiões mais pobres e sacrificadas em termos de investimento público.
“ A união faz a força!”
Já agora…não é por acaso que a povoação escolheu uma locomotiva para símbolo do brasão da freguesia.
Cumprimentos,
Tó-Mané.